Ação contra esquema de R$ 200 milhões cumpre 3 mandados em MS - CASTANHEIRAS NEWS - O SEU PORTAL DE NOTICIAS

Post Top Ad

ANUNCIE CONOSCO - (69) 98431 - 0154

Ação contra esquema de R$ 200 milhões cumpre 3 mandados em MS

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS

 


Em Campo Grande, policiais prenderam uma mulher em flagrante por furto de energia enquanto cumpriam os mandados

 
Equipes da Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico) e da 1ª DP (Delegacia de Polícia Civil) de Ponta Porã cumpriram três mandados de busca e apreensão em Campo Grande e na fronteira em auxílio à Operação Overload 2, deflagrada pela Polícia Civil carioca em conjunto ao Gaeco do Rio de Janeiro.

Conforme o delegado Gustavo Ferraris, não houve materiais apreendidos, mas uma mulher de 33 anos, responsável por uma das casas alvo do cumprimento de mandado, no Jardim Leblon - região sudoeste de Campo Grande -, foi presa. 

No local, os policiais flagraram o crime de furto de energia elétrica, o que também foi constatado por uma equipe da Energisa e pela perícia técnica. Assim, a mulher foi detida em flagrante pelos policiais da Denar.

Todos os mandados de busca e apreensão cumpridos em Mato Grosso do Sul foram expedidos pela Justiça do Estado do Rio de Janeiro, onde o Comando Vermelho, alvo da ação, é a facção criminosa de maior atuação e domínio no crime organizado.

A Overload 2 levou policiais às ruas também de Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina para cumprir 28 mandados de busca e apreensão em endereços vinculados a 12 denunciados por esquema da lavagem de dinheiro do tráfico de drogas.

Entre os principais alvos estão os líderes da organização conhecidos nacionalmente, Elias Pereira da Silva, o 'Elias Maluco', e Márcio Santos Nepomuceno, o 'Marcinho VP', ambos detidos no Presídio Federal de Catanduvas, interior do Paraná.

Esquema de R$ 200 milhões - A 1ª Vara Criminal Regional de Madureira (RJ) também determinou o bloqueio de contas bancárias. Além dos donos das contas emprestadas para 'legalizar' o dinheiro obtido com a venda de drogas, empresas estão na mira.

Conforme a polícia carioca divulgou em seu site, a força-tarefa, em pouco mais de um ano, identificou que dez pessoas físicas e 35 jurídicas movimentaram valor acima de R$ 200 milhões, com ordens que partiam de dentro de presídios.

Entre os denunciados, estão Gustavo Vieira de Oliveira e Danilo Flores da Silva, que receberam em suas contas bancárias depósitos de valores ligados ao Comando Vermelho. Liliane Laurinda Rocha e Liz Lelis Rocha, sócias das empresas Expoarte Fast Money e Liliz Brazilian Fast Money, também permitiam a utilização de contas pela facção. 

Carolina Melissa Ribas da Costa e Maria Aparecida Campos de Oliveira, sócias da empresa Vest Tur Agência de Viagens, se enquadram na mesma situação, assim como Paulo Morinigo e Vitor Ivanovitch Costite, donos das empresas Paulo Morinigo ME e Vitor Ivanovitch ME.

A intenção da operação é desarticular financeiramente o Comando Vermelho, assim como foi realizado recentemente em Mato Grosso do Sul com o PCC (Primeiro Comando da Capital), maior facção criminosa do Brasil e com origem em São Paulo (SP).

Em uma semana, a facção foi alvo de três operações no Estado, sem contar outras ações pontuais realizadas para desarticular o crime organizado. As atividades compreendem tanto policiais sul-mato-grossenses como agentes de outros estados, assim como a central de comando. A PF (Polícia Federal) também realizou ações contra o PCC. 

FONTE : CAMPO GRANDE NEWS


Nenhum comentário:

Postar um comentário

ANUNCIE CONOSCO - (69) 98431 - 0154
loading...