Ex-servidor que tentou matar empresário a tiros em Vilhena é indiciado; ex-esposa foi pivô do crime - CASTANHEIRAS NEWS - O SEU PORTAL DE NOTICIAS

Post Top Ad

ANUNCIE CONOSCO - (69) 98431 - 0154

Ex-servidor que tentou matar empresário a tiros em Vilhena é indiciado; ex-esposa foi pivô do crime

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS
Ex-servidor que tentou matar empresário a tiros em Vilhena é indiciado; ex-esposa foi pivô do crimeEx-servidor que tentou matar empresário a tiros em Vilhena é indiciado; ex-esposa foi pivô do crime

Em coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira, 27, o delegado Núbio Lopes de Oliveira, titular da Delegacia de Homicídios de Vilhena (RO), falou sobre uma tentativa de homicídio que aconteceu no dia 29 de dezembro de 2019, no Setor 13. A vítima seria o ex-servidor da Secretaria Municipal de Educação (Semed) de Vilhena, Aluízio Oliveira Serafim.
Ele foi surpreendido com disparos de arma de fogo ao chegar em sua casa. Os cerca de 5 tiros foram dados por Marcos U. F. C., de 43 anos, que o esperava perto do portão. As balas atingiram a porta e o carro em que a vítima estava, mas, o alvo saiu ileso.
Durante a investigação, soube-se que o autor dos disparos é ex-marido de uma mulher com quem a vítima teve um relacionamento. Porém, quando Aluízio se envolveu com a pivô do crime, ela já estava separada há anos do ex-marido.
No período em que o ex-servidor público, que também tem 43 anos, se envolveu com a ex-companheira do autor dos disparos, ele era casado, mas, dizia não ser e afirmava que apenas morava com a mulher que teria sido sua esposa.
Ao tomar conhecimento do caso amoroso, o investigado, que tinha se mudado para Mato Grosso, voltou e passou a tirar satisfações sobre o romance, mas, as proporções foram tão grandes que até a então esposa da vítima pediu para que o suspeito superasse o caso. O investigado, que está foragido, enviou mensagem de ameaça até mesmo para a filha de Aluízio.
Por um período de cerca de três meses, as ameaças seguiram, ao ponto de ter uma representação criminal contra o suspeito. Porém, eles chegaram a um acordo e a denúncia foi arquivada, pois a vítima acreditava que seu algoz teria desistido de se vingar após uma audiência.
Mas, 40 dias após a tal audiência, o autor dos disparos esperou Aluízio no portão da casa em que ele morava, e foi quando aconteceu a tentativa de homicídio, que só não terminou em morte porque Aluízio conseguiu fugir.
O investigado está foragido e deve responder por tentativa de homicídio duplamente qualificada.
Fonte: Folha do Sul - Em Polícia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ANUNCIE CONOSCO - (69) 98431 - 0154
loading...